Sou mais um entre tantos...

Sou mais um entre tantos...
A FILOSOFIA E A MISSÃO DESTE BLOG INCLUI A DIFUSÃO DA CULTURA E A UTILIDADE PÚBLICA.

"Cada pessoa, por si só, promove a sua indispensável transformação interna, transmutando o pesado chumbo do seu emocional, no ouro reluzente da Evolução Mental."

Fé Esperança Caridade

Fé Esperança Caridade
Fé Esperança Caridade - Virtudes chamadas teologais porque têm a Deus por objeto de modo imediato. Pela fé nós aderimos ao que Ele revelou; pela esperança tendemos a Deus apoiando-nos em seu socorro para chegar a possuí-Lo um dia e vê-Lo face a face; pela caridade amamos a Deus sobrenaturalmente mais do que a nós mesmos. A minha Fé não é achar que Deus fará o que eu quero, mas basea-se na certeza de que Ele fará por mim tudo o que preciso.

Verbete Wikipédia

Verbete Wikipédia
Verbete Wikipédia

O BRASÃO

O BRASÃO
Visite o blog do Barão de Burity clicando no Brasão.
Meus livros são minha essência.

ALGUNS LIVROS DE MINHA AUTORIA.

ALGUNS LIVROS DE MINHA AUTORIA.
ALGUNS LIVROS DE MINHA AUTORIA - DOWNLOAD? POR FAVOR, CLIQUE NO TÍTULO.
CRÉDITO DE IMAGENS
Algumas obtidas na internet e formatadas com programas "freeware".


As pessoas passam, as obra permanecem. Ninguém é obrigado a gostar de alguém, mas existe uma coisa que se chama: respeito. Nunca sabemos onde a vida nos levará. Tropeços... Valores... Reviravoltas... No final do caminho, as diversidades mais difíceis, não nos matam - nos tornam mais forte.
Estou de bem com a vida... Faço do escrever a minha terapia ocupacional.
Acima de tudo agradeço a Deus por tudo que tenho e sou. Não há como renegar as minhas origens.
Servir à Marinha:
Uma visão!
Um sonho!
Uma vida!



sábado, 31 de julho de 2010

O ACORDO ORTOGRÁFICO...



NOVO ACORDO ORTOGRÁFICO DA LÍNGUA PORTUGUESA








Relembrando algumas regras antes e depois:

TREMA
1 - antes: tranqüilo, sagüi
2 - depois: tranquilo, sagui
Mas, o trema permanece em nomes próprios estrangeiros. Müller
ACENTO DIFERENCIAL
1 - antes: pára, pêlo, pêra
2 - depois: para, pelo, pera
Fique atento! Não foi eliminado o acento diferencial que distingue pôr (verbo) de por (preposição e pôde (pretérito) de pode (presente).
Para complicar, um pouco mais, fôrma, para diferenciar de forma, pode ou não receber acentro circunflexo.
ACENTO DOS DITONGOS ABERTOS éi ói das palavras paroxítonas
1 - antes: européia, idéia, jibóia
2 - depois: europeia, ideia, jiboia
O ACENTO PERMANECE nas palavras oxítonas
anéis, herói, papéis
ELIMINADO O ACENTO CIRCUNFLEXO das palavras terminadas em êem e ôo ou ôos
1 - antes: crêem, enjôo, vôo
2 - depois: creem, enjoo, voo

Cá para nós, mudaram as regras... A Língua Portuguesa ainda continua complexa.
Portanto: - É preciso ler muito e redobrar a atenção.
Guia Prático da Nova Ortografia em:
http://www.livrariamelhoramentos.com.br/Guia_Reforma_Ortografica_Melhoramentos.pdf

quinta-feira, 29 de julho de 2010

A PALAVRA DE ORDEM É PROSSEGUIR...

Embora todos nós tenhamos vindo ao mundo nu. Em sociedade, muitas são as diferenças entre os seres humanos e as formas de avaliação. Um ser humano pode ser avaliado pela cor da pele, pelo número de línguas que fala, pelas roupas que veste, pelas joias que usa, pela profissão que exerce e até pelo muito ou pouco que faz. Portanto, se for injustiçado; - Não importa onde aconteceu... como aconteceu... Lembre-se de que o tempo é o senhor de tudo.

Quando criamos algo bonito e bom, não criamos para nós mesmos, mas porque recebemos a inspiração divina, a iluminação que é dada a alguns predestinados. Continuemos nossos caminhos, alguns irão ficar das margens atirando pedras ou colocando-as no caminho dos caminhantes. Ficar às margens atirando pedras ou colocando-as no caminho é o seu destino e a sua missão. Eles, ao final irão, pela ignorância de seus espíritos tacanhos, acreditar que foram muito importantes em suas vidas, e até foram, pois nos fortaleceram e trouxeram forças para prosseguir.

Infelizmente ainda existem, e como existem, pessoas que movidos por uma personalidade forjada se autoqualificam de práticos e eficientes, mas são movidas por sentimentos e emoções que não podem ser qualificadas como positivas.

A palavra de ordem é prosseguir. Faça-o sem dar ouvidos aos seus algozes. Dê a volta por cima... Infelizmente, embates e cobranças existem entre os seres humanos dos diversos segmentos sociais. Não se trata de preocupação em vão... De maneira subliminar convivemos com gostos, conceitos, preconceitos, gestos e atitudes etc etc Preste atenção!!! São muitas as situações em que as pessoas se agridem: no trânsito, nas filas, em consultórios, nos clubes, etc etc Cara de Paisagem nelas! Nada de "revanchismo" ou "retaliação"!

Muito embora não possamos fugir do que a vida nos traz. Em determinados momentos, melhor fazer "cara de paisagem". Cada obstáculo superado, engrandece a alma do caminhante!
Já passei por coisas demais... e sei que passarei por outras mil...
"Cara de paisagem" não é cinismo. "Cara de Paisagem é quando você está diante de um conflito e ignora solenemente para que os ânimos se acalmem ou a pessoa que te provoca desista de tal ato ou se sinta como um imbecil. Conforme, escrevi em outra crônica, neste blog, no dia 29 de junho de 2010:
"Os cães ladram e a caravana passa..." Um ditado árabe, muito falado e repetido por Ibrahim Sued (1924 — 1995) jornalista e colunista social brasileiro que insistia dizer que não importa o latido dos cães, não importa o barulho que façam a caravana seguirá o seu caminho.

segunda-feira, 26 de julho de 2010

MEDICINA & BEM-ESTAR

Muito me impressonou a leitura do texto que transcrevo. Ouso dizer que, realmente, todos os seres humanos deveriam pensar sobre a comprovação:

"A CIÊNCIA COMPROVA QUE MUDAR A MANEIRA DE PENSAR É UM REMÉDIO EFICAZ CONTRA MALES COMO DEPRESSÃO, DOR CRÔNICA E ALCOOLISMO."

Pense nisto!

domingo, 25 de julho de 2010

DISCUTINDO A RELAÇÃO...

Do texto "Discutindo a Relação" por Alessandra Leles Rocha, publicado em

http://www.mhariolincoln.com/articulistas/alessandra-l-rocha/artigo/discutindo-a-relacao

“Olho por olho, e o mundo acabará cego”,

dizia Gandhi; mas, quando o poder supremo é o único propósito de vida, administrar seja o que for pode sim tornar-se um emaranhado de problemas insolúveis e crônicos. Populismos por populismos, sorrisos por sorrisos, apertos de mãos por apertos de mãos... Criação atritos para mascarar crises não irá garantir sustentação para nenhum tipo de poder. O mundo inteiro assiste a consequências de repetições de atitudes assim; pagamos um preço elevado demais pela cegueira coletiva que se instalou no trato das relações humanas políticas, econômicas, administrativas e sociais. Antes que seja tarde demais, aqueles que tiverem alguma pretensão de poder haverão de retornar pela estrada e reescrever o caminho pelo diálogo, pelo entendimento, pela visão pacifica e harmônica da sociedade; somente dessa forma será possível coexistir."

sábado, 24 de julho de 2010

SUCESSO... FAMA...


Ana Luiza Medeiros Machado - Poetisa, assim se expressou no livro, de minha autoria, "Fatos e Reflexões":

"Sempre que recebemos a tarefa de fazer o bem ao próximo com nossos próprios méritos aparecem pessoas em nosso caminho que por meio de críticas tentam nos levar ao desistir. Estas pessoas se julgam capazes de falar e nos subtrair algo que nos é dado por dom divino. Na verdade são fracassadas, e o fato de criticarem nasce da incapacidade de fazer tanto por si e tão pouco pelo próximo.
Você é um ser iluminado. Por isso não deixe que os inativos te desestabilize. Este livro cuja acabo de ver, mostra mais uma vez que a força maior está na capacidade de passar por cima das adversidades que a vida nos impõe."
Por meu turno, após ler e reler aquelas palavras, hoje, paro, penso e constato que como no velho ditado chinês:
- Lutei pelo sucesso e a fama chegou.
Fama que incomoda... Sou o que sou e não aquilo que "o eu dos outros quer que eu seja."
No blog olho as bandeiras - origem dos cliques -constato que internautas de 40 países, além do Brasil, visitaram mais de uma vez e 19 de outros países uma única vez. Bem, a minha cabeça continua no mesmo lugar e os pés no chão. Mas, pessoas há que por não admitirem tal realidade ficam com a cabeça na Lua e o pé em Marte.
Em verdade, no trato com o falar mal ou bem, aprendi que devo seguir as palavras de Bob Marley:
"Não ligo que me olhem da cabeça aos pés... porque nunca farão minha cabeça e nunca chegarão aos meus pés."
Assim procedendo, tal qual uma lenda, o meu nome atravessa o tempo.
Encaro os elogios como aceitáveis, mas, quem leva a vida falando mal dos outros ou perseguido-os não tem o que fazer ou tem muita inveja.
Conforme dizia Ibrahim Sued que marcou época como colunista social e repórter do Fantástico:
- “Panteras e panterinhas, bonecas e deslumbradas”
- “Ademã, que eu vou em frente”.

quinta-feira, 22 de julho de 2010

VISITA AO InBrasCI





Ao visitar, no último dia 19 de julho, o InBrasCI o Dr. Guilem Rodrigues da Silva, poeta e escritor, radicado na Suécia ofereceu ao Acadêmico Elvandro Burity um exemplar do livro:
NOSTALGIE ET UNE CHANSON DÉSESPÉRÉE (Saudade E Uma Canção Desesperada)

Eis a Dedicatória:










segunda-feira, 12 de julho de 2010

ESTRADA DA VIDA







NA ESTRADA VIDA

O tempo passa depressa
Oh! Tempo que não volta mais
Coisas, fatos, momentos vividos
Na estrada vida:
- Hoje tudo lembranças...

sábado, 10 de julho de 2010

30.000 ACESSOS...


Pensar que tudo começou em outubro de 2007 e, que transcorridos 2 anos, 9 meses e 20 dias o contador de visitas atingiria o 30.000º acesso.
O primeiro agradecimento é feito à Aquele que tudo vê e tudo ouve por permitir que vivo, acordado e energizado vivencie a ocorrência do 30.000º clique. Em segundo, mas não menos importante, o meu muito obrigado é exteriorizado para você que tornou possível atingir tal número.
Sem ufanismo: - Até 50.000º acesso. Coninue visitando o blog.
Com muito axé: - Obrigado!

quarta-feira, 7 de julho de 2010

A FÁBULA DO BURRO E DA CABRA.

A FABULA DO BURRO E DA CABRA (*)
Era uma vez um burro que caminhava por uma estrada. Ia a curtir sozinho, cantarolando e assobiando, acreditando que aquele caminho o levaria à felicidade que tanto desejava. A certa altura, o burro encontrou uma cabra que pastava na beira do caminho e que lhe perguntou:
- “Onde vais, burro?”
- “Vou em busca da minha felicidade”, respondeu ele.
- “Isso é fantástico!”, disse a cabra. “Achas que tu e eu poderíamos ir em busca da felicidade juntos?”
- “Acho que é capaz de ser uma boa ideia!”
E seguiram os dois pela estrada fora, alegremente, cantando e rindo.
O tempo foi passando e as coisas corriam tão bem entre eles que a cabra começou a fazer planos para o futuro de ambos. Falava do vestido que iria usar no seu casamento, dos filhos que iriam ter, da casa que iriam comprar. E o burro cada vez se apaixonava mais por aquela cabra, acreditando em tudo o que ela dizia. Tão iludido ficou com os sonhos e promessas de amor que ela fazia que nem se apercebeu que, a pouco e pouco, se iam desviando do caminho principal e rapidamente se perderam no meio do campo. Foi então que a cabra parou e disse:
- “Sabes burro, estou cansada. Cheguei à conclusão que estou farta de ti. Segue o teu caminho sozinho que eu vou procurar outro burro que me faça mais feliz. ”
E dizendo isto, partiu, deixando o burro na merda.
Só então o burro percebeu que, por causa da cabra, se tinha desviado do caminho da sua felicidade. Ainda hoje ele anda às voltas, tentando recuperar o tempo perdido e redescobrir a estrada por onde seguia quando conheceu aquela cabra que lhe estragou a vida e lhe partiu o coração.
Moral da história: Escolhe bem a tua companheira de viagem! Não deixes que nenhuma cabra te desvie do teu caminho com promessas de amor e sonhos de felicidade! Basta que ela encontre outro burro que tenha uma carroça melhor do que a tua e, quando deres por ti, estarás sozinho e infeliz!

segunda-feira, 5 de julho de 2010

18 DO FORTE - 1922/2010


O Movimento dos "18 do Forte" recebeu o nome de "Movimento Tenentista dos 18 do Forte". Um movimento político-militar cujos componentes não declaravam nenhum ideologia, desejavam o progresso industrial, reformas na estrutura do poder do País, como o fim do voto cabresto e a implantação do voto secreto.

Em 5 de julho de 1922, em oposição à posse de Artur Bernardes na Presidência da República, alguns quartéis se rebelaram, tendo como foco principal o Forte Copacabana. Após mais de 24 horas de combates, os militares liderados pelo Tenente Antônio de Siqueira Campos, deixaram o Forte, enfrentando as forças legalistas, colocando em sacrifício suas vidas em prol dos seus ideais.
Com a Revolução de 1930, os Tenentes do Movimento de 1922 foram alçados a categoria de heróis.
Hoje, 05 de julho de 2010, compareci, na qualidade de Membro Fundador e Efetivo do Centro de Literatura do Forte Copacabana, ao Ato Solene Comemorativo e em Homenagem aos "18 do Forte" ocorrido em 5 de julho de 1922. Na programação: Missa Campal, Cerimonial de Incorporação da Bandeira do Brasil, Parentes do Tenente Antônio de Siqueira Campos depositaram flores junto a espada, por ele utilizada à época do Movimento Tenentismo ou 18 do Forte, Formatura, Desfile da Guarnição em Continência ao Comandante e após Coquetel de Confraternização.

sábado, 3 de julho de 2010

DESPERTOS AO SOAR DAS VUVUZELAS

Não posso deixar de reproduzir o texto escrito pela Amiga e Escritora Alessandra Leles Rocha publicado originalmente em:

De volta à realidade é hora de seguir em frente e pensar no futuro dessa nação. Cientes de que projetar felicidade nas costas alheias pode ser fatal e ineficaz, cabem a cada cidadão brasileiro tratar de lutar com unhas e dentes pelo seu próprio quinhão de alegria e contentamento; bem como, de realizar pelas próprias mãos a transformação de sonhos e projetos.
De fato, é muito bom quando algum brasileiro na execução de seu ofício representa bem o país dentro ou fora de suas fronteiras. Eles ou elas estão lá, representando o país, realizando seu trabalho, certamente lutando com muitas dificuldades para chegar até esse ponto, e deixarão nas páginas da história o registro desse legado. Sentimos satisfação, orgulho, alegria por ver que, apesar de tantos pesares, desse solo continua a brotar uma infinidade de talentos capazes de encher os olhos e alma de emoção.
Mas, é preciso entender de uma vez por todas que a realização pessoal desses indivíduos em questão não altera direta ou indiretamente a nossa própria realidade, continuamos a ser os mesmos, a “matar milhões de leões” por dia para dar conta das obrigações prestes a nos soterrar, alternando sucessos e fracassos no dia a dia. Títulos, conquistas, premiações, computadas aos quadros de memória do país não são capazes de mudar os rumos da nação, de milhões de pessoas que movem as engrenagens do desenvolvimento e do progresso dessa terra.
Debruçamos diante deles como Narciso fez diante do lago, admirados com tanta beleza e perfeição! Mas nosso espelho é bem outro: distantes dos salários suntuosos, das mordomias em viagens e hospedagens nos melhores hotéis, das novidades médicas de última geração para tratar as lesões, dos contratos publicitários que rendem dinheiro extra no fim do mês, enfim... tudo à disposição para ainda fazerem o que mais gostam. Enquanto os pobres mortais enfrentam a exaustão da labuta, o transporte lotado, as filas no atendimento público de saúde, a jornada tripla para saldar os compromissos no fim do mês, a marmita fria na hora do almoço, a falta de professores nas salas de aula – para aqueles que sonham em melhorar de vida -, a insegurança nos centros urbanos, o stress... enfim, tudo o que a vida é capaz de lhes oferecer em termos de sobrevivência.
No mesmo mundo dois universos que se defrontam e não se percebem pertencentes à mesma semente: o Brasil. Aos ídolos que falharam na sua missão tudo permanece como antes; talvez, alguns dias sob o olhar acusador e sarcástico da mídia, nada que o tempo não supere. Aos fãs também a normalidade de sempre, com o gosto momentâneo do amargo da decepção – se eles que tinham tudo e não conseguiram o que nos restará? Na esfera do mais ou do menos, do maior ou do menor, acordaremos amanhã todos brasileiros, cidadãos, trabalhadores, cumpridores das obrigações habituais. A catarse da alma continuará a ser nossa meta para dar alívio e sentido em continuar a jornada, mas buscará em outros elementos da vida motivo para acontecer. Permaneceremos fiéis aos encantadores das bolas nos pés; mas, agora, conseguindo enxergar a realidade que se esconde atrás da rede branca, da euforia do gol, da emoção do hino; finalmente fomos despertos ao som das vuvuzelas.


■■■■■■■

O texto de Alessandra não é antipatriota. Retrata sim uma grande verdade: - A vida continua... E como bem disse o Técnico da Seleção: - Fora contratado por 4 anos. Portanto, o contrato termina após a copa.
Entendo como pertinente registrar o meu pensamento sobre o assunto. Não vejo sentido em associar patriotismo ao futebol. Pode ser importante para a formação e reprodução de determinados tipos de identidade. A questão é outra. E, algumas pessoas não sabem lidar com o fato: - Um time de futebol ser eliminado de um campeonato ou competição.
Depois do jogo assisti uma briga, ente dois adultos, com direito a socos, pontapés, palavrões com o saldo de algumas lesões corporais.
As agências internacionais em Porto Príncipe (Haiti) noticiaram que: - "Um jovem haitiano que torcia para a seleção brasileira cometeu suicídio nessa sexta-feira, após a eliminação da equipe de Dunga diante da Holanda, nas quartas de final da Copa do Mundo da África do Sul".
Outra notícia relata o fato de que: - Um homem de 28 anos se suicidou na Tailândia porque seu pai lhe repreendeu por passar muito tempo acompanhando a Copa do Mundo da África do Sul em vez de ajudar a família nos campos de arroz, informou nesta sexta-feira a imprensa local".

Entendo que uma pessoa torça por uma seleção na copa, com direito a vuvuzela e nervosismo total. Não entendo como algumas pessoas fazem a conexão entre uma partida de futebol e o patriotismo. Também, passo longe da ideia de que o futebol é o ópio do povo e/ou de que os torcedores esquecem dos problemas de suas vidas ao assistir futebol. O problema não é esse. O problema é outro. Considero o associar futebol ao patriotismo, algo tosco e sem sentido.
Agora vamos aos fatos:
Exatamente o que a seleção brasileira estava defendendo? O status de melhor futebol do mundo. O que isso tem de relevante para todos os brasileiros? Nada!! Pelo menos para a maioria de nós, pois os únicos que lucram alguma coisa com esse evento são os que lidam com os produtos vendidos nessa época e os integrantes da própria seleção.
Com o fim da copa o que ganha nossa nação? Se a seleção tivesse saído de lá vencedora que benefícios isso traria? O analfabetismo deixaria de existir? Haveria uma redução drástica nos impostos? Saneamento para todos? Escolas com infraestrutura e pessoal bem preparado e muito bem remunerado? Uma melhoria na Segurança Pública? Não, nenhuma dessas coisas aconteceria, sabe por quê? Somos Pentacampeões Mundiais de Futebol!!! E nenhuma das coisas que falei aconteceu quando ganhamos nossa primeira copa ou nas quatro seguintes. E cada brasileiro acredita estar sendo patriota nessas demonstrações na época da copa, isso não é patriotismo está mais para fanatismo futebolístico.
Ser patriota é muito mais que isso: não jogando lixo nas ruas, cedendo o assento ou o lugar na fila para os idosos ou gestantes, saber o Hino Nacional. Podem dizer que isso é civismo, mas essas palavras são praticamente irmãs.
Patriotismo é ir votar não por que é obrigatório, mas por que você conhece o trabalho do candidato e acompanhou-o nos últimos quatro anos ou sabe que o candidato apesar de nunca ter cumprido um mandato é honesto e não irá roubar nosso dinheiro.
Patriotismo é acompanhar de perto o que os governantes estão fazendo na sua cidade, no estado e no país.
Patriotismo é não roubar o imposto de renda.
Patriotismo é se reunir com seus amigos e vizinhos e exigir mais educação, atendimento de saúde pública eficiente, mais policiamento e saneamento básico é não se calar perante as injustiças praticadas por quem quer que seja. Isso é patriotismo!!!
Talvez o que estou dizendo seja utópico ou passível de incompreensão. Afinal por que o cidadão comum deveria saber o que é patriotismo? Não é um produto anunciado em outdoors, não é a letra da música mais tocada nas rádios, não faz parte da trama de nenhuma novela de qualquer horário ou canal e nem é anunciada com estardalhaço nos telejornais. Bem como não é enredo de Escola de Samba.

Calma!!!!!! O Miniaurélio fornece o seguinte significado para a palavra pa.tri:o.tis.mo:

Substantivo masculino.
Amor a pátria; consciência dos deveres cívicos e apego e/ou admiração pelas coisas do seu país.

sexta-feira, 2 de julho de 2010

HOMENS DO MAR

HOMENS DO MAR

Avante marujo!
Com orgulho e altivez
A Esquadra vos espera
Para o bem servir à Pátria.
Pelos mares da vida
Não importa a tormenta
Naveguem...
Com honra, força, coragem e empenho.
Brasil! teu povo é forte
Como é grande a tua terra!
Glórias aos homens que elevam a Pátria!
Glórias aos homens do mar.